Notícias e artigos Receitas Veganas Veganismo e Libertação Animal

Tatuagem Vegan: marcando a pele sem exploração animal

Written by anarcopunkORG

*por anarcopunk.org

Quanto mais vamos atrás, mais descobrimos uma enorme quantidade de empresas que se utilizam de ingredientes de origem animal, exploração e testes em animais em seu processo de produção. Basicamente, a velha lógica do capitalismo de explorar tudo e todxs, fazendo uso de seres humanos, animais e meio ambiente como meras engrenagens geradoras de lucro. Quando, a partir das reflexões propostas pelo veganismo, boicotamos produtos que são fruto de exploração animal, é comum que lembremos de ítens ligados a alimentação, vestuário, produtos de higiene, limpeza, indústria farmacêutica, química, etc. Mas algo que por muito tempo passou batido foi… A TATUAGEM.

Agulha+tinta+pele humana = arte marcada na pele.

Existe alguma parte dessa equação que possa ser fruto de exploração animal? Infelizmente sim, e vamos falar aqui um pouco sobre o que pode tornar não vegano o processo de tatuar.

Começando pelas tintas de tattoo: A tinta para tatuagem costuma ser formada por um pigmento que dá a cor (de origens diversas como vegetais, minerais, e até mesmo metais e plásticos) e uma solução que em geral tem como função manter o pigmento uniformemente distribuído, inibir o crescimento de agentes patogênicos, evitar a aglomeração de pigmento e auxiliar na aplicação do pigmento na pele. Essa solução pode conter ingredientes como água, alcool etílico, propileno glicol e glicerina, entre outros. Essa glicerina pode ser de origem animal ou vegetal – muitas empresas usam glicerina animal na composição. Além disso, alguns pigmentos para tinta preta contém ossos de animais entre os ingredientes, e em outras cores pode-se encontrar gelatina, e ainda componentes a base de insetos como goma-laca e cochonilha. Outro ponto ainda sobre as tintas, é que algumas empresas realizam testes em animais.

Mas para além das tintas, outros detalhes podem incluir ingredientes de origem animal no processo da tatuagem. Para iniciar o processo, é preciso depilar a região que será tatuada. A maioria dos aparelhos de barbear que possuem aquelas tirinhas lubrificantes tem ingredientes de origem animal como a lanolina ou glicerina. Em geral, a maior parte deles também pertencem a empresas que fazem testes em animais (como Bic, Gilette, etc.).

Para transferir o desenho para a pele, é muito comum o uso de papel hectográfico/stencil. Muitas marcas contém lanolina em sua composição, um óleo extraído de carneiros. Há que se prestar atenção ainda no produto (em creme ou barra) usado para transferir o decalque, tipo de vaselina/gel lubrificante, e o sabonete líquido usado para limpeza da pele durante o processo.

No fim da tatuagem, restam os cuidados que você terá com a cicatrização. Nesse processo, é muito comum que se utilize cremes e pomadas como Bepantol, Nebacetin, entre outros, todos produtos da grande indústria farmacêutica que logicamente fazem testes em animais, e mesmo alguns cremes próprios para tatuagem podem conter ingredientes de origem animal – quanto a isso, atualmente tem sido comum o uso de alternativas naturais como o óleo de coco, por exemplo.

Enfim, como dá pra ver, a preocupação nesse sentido permeia todo o processo da tatuagem, já que envolve praticamente todos os procedimentos e muitos materiais que são usados.

Para tatuadorxs, estes são pontos importantes a se pensar – o especismo e a exploração animal podem fazer parte ou não de nossa arte, a partir de escolhas éticas e reflexões simples sobre o dia a dia de nosso trabalho.

Para as pessoas que se tatuam, também é um ponto de reflexão que, para além de possibilitar uma escolha sobre como estamos marcando nossas peles, pode gerar diálogos com xs tatuadorxs e ampliar a prática da tatuagem como algo livre de exploração animal – mesmo que a pessoa que for te tatuar não seja vegana, você pode conversar com elx sobre isso, perguntar quais materiais usa, se existe possibilidade de usar materiais sem ingredientes animais e que não façam testes, etc.

Para contribuir com esta conversa, listamos abaixo algumas sugestões de materiais de tattoo que não fazem testes e não tem ingredientes de origem animal e mais algumas observações. Sempre que possível iremos atualizar esta lista. Se você tem mais indicações ou sugestões para incluir, é só entrar em contato com a gente! anarcopunkorg@riseup.net

***

Tintas Veganas

Eternal / Intenze / National / Starbrite / Electric Ink / Everlast / World Famous Tattoo Ink / Kuro Sumi / SkinCandy não fazem testes e nem usam ingredientes de origem animal, e parte delas se declara vegan friendly nas divulgações.

Dynamic – embora existam algumas fontes na internet que digam que o preto tem ossos de animais em sua composição, em contato com eles nos foi informado que não fazem testes nem possuem ingredientes animais nas tintas.

***

Observações sobre outras tintas

* a Iron Works, marca nacional, não utiliza ingredientes de origem animal, mas em resposta ao contato que fizemos (julho/2017), disseram que fazem testes em camundongos.

* As tintas Talens Indian Ink e Talens Draw Ink, nankins para pintura que durante muitos anos foram muito utilizadas na tatuagem, são feitas a partir de goma-laca (shellac), substância extraída do inseto Coccus Lacca, nas florestas de países como Índia e Tailândia.

* as tintas Micky Sharpz não testam em animais e quase todas as cores não são de origem animal, porém o preto e tons de sumi contém goma-laca (shellac).

* Tentamos contato por todos os meios possíveis com o Grupo Amazon, que produz as tintas Viper e muitos outros produtos para tattoo (Easy Inn, linha de cuidados pós-tatuagem, etc), mas não tivemos nenhuma resposta até o momento.

Papel Hectográfico

Spirit (em resposta ao nosso contato, informaram que todos os produtos da empresa são vegan-friendly. Há toda uma linha de papéis hectográficos muito bons, e também stencil transfers)

Transferidores de decalque

Spirit

Stencil Stuff

Mboah (a linha de produtos pra cuidados pós-tatuagem também é toda vegana)

Vaselina/gel lubrificante – você pode optar por usar outros produtos substituindo a tradicional vaselina, já que essa é derivada de petrolatos e pode conter em si substâncias cancerígenas e poluentes ao meio ambiente.

Para listas de empresas que fazem ou não testes, acesse os links abaixo

About the author

anarcopunkORG