8º Festival do Filme Anarquista e Punk de SP

SÁBADO

Picture

OFICINA | FOTOGRAFIA: CONSTRUINDO NARRATIVAS
por Joakim Santos

Oficina em duas partes, 30/11 e 01/12 no período da tarde
GRATIS // FAÇA SUA INSCRIÇÃO!

Que discurso uma imagem carrega? Partindo dessa premissa a oficina se propõe no primeiro momento a abordar os conceitos básicos da construção da imagem e como para além de uma forma de expressão social, artística e cultural as técnicas empregadas nas linguagens fotográficas e cinematográficas ajudam a potencializar tal discurso. Na segunda parte da oficina é proposto uma pratica coletiva de uma construção narrativa em foto ou vídeo baseado nas discussões sobre o tema.
*traga sua câmera, celular ou outro equipamento fotográfico

30 Nov e 1º Dez
tarde
Movie

MEGG – A MARGEM QUE MIGRA PARA O CENTRO
(Documentário | 15min | 2018 | Beija-Flor Filmes | Curitiba/PA)

Megg Rayara derrubou barreiras para chegar onde chegou. Para ela, seu diploma é um marco importante de uma luta não só pessoal mas, sim, coletiva. Pela primeira vez no Brasil, uma travesti negra conquista o título de Doutora. É a margem que migra para o centro, levando toda sua história consigo.

BICHA-BOMBA
(Documentário | 8min | 2019 | Beija-Flor Filmes | Curitiba/PA)

Este filme “não é capaz de vingar as mortes, redimir os sofrimentos, virar o jogo e mudar o mundo. Não há salvação. Isso aqui é uma barricada! Não uma bíblia.”

SESSÃO 1
13h00 às 13h23
Movie

NÃO TEM ARREGO
(Documentário | 70min | 2018 | Coletivo Desneuralizador | Goiânia/GO)

Esse filme retrata um movimento de luta social independente, autogestionário, protagonizado por jovens de escolas públicas, que rejeitarão as entidades tradicionais e enfrentaram o Estado e suas forças de repressão.

SESSÃO 2
13h45 às 14h55
Movie

Sessão seguida de conversa “Resistência Indígena na Atualidade”, com Olívio Jekupé*
das 17hs às 18hs

Os povos indígenas lutam há mais de 5 séculos contra um projeto de civilização que quer exterminar todas as formas de vida autônomas e insubmissas. O debate traz uma reflexão acerca das diversas formas de resistência dos povos indígenas na atualidade. A luta para manter suas culturas vivas é também uma luta contra o capitalismo, o autoritarismo e a destruição da natureza. Para além dos estereótipos e preconceitos propagados pelo colonizador, o palestrante fala um pouco sobre a realidade dxs indígenas que vivem próximxs a um grande centro urbano e usam a literatura, o rap e as tecnologias para manter vivas a língua e a cultura nativa.

Olívio Jekupé é escritor guarani. Vive na Aldeia Krukutu, na região de Parelheiros (zona sul de São Paulo). É membro do Núcleo dos Escritores e Artistas Indígenas (Nearin) e foi um dos fundadores da Associação Guarani Nhe'en Porã. Em seus livros aproveita a tradição oral, transcrevendo histórias de seu povo.

filmes da sessão:

O VERBO SE FEZ CARNE
(Experimental | 7min | 2019 | Pitawã | Recife/PE)

A invasão dos europeus ao nosso continente nos deixou cicatrizes. Ziel Karapotó utiliza seu corpo para denunciar a imposição da língua do colonizador aos povos indígenas, uma face do projeto colonialista.

ATRÁS DA PEDRA -RESISTÊNCIA TEKOA GUARANI
(Documentário | 31min | 2015 | Thiago Carvalho, Taís Oliveira e Guilherme Queiroz | São Paulo/SP)

O documentário aborda a luta e resistência dos Guarani Mbya pela demarcação de terras nas aldeias do bairro Jaraguá, zona noroeste de São Paulo. O filme discorre sobre um processo de reintegração de posse em uma das aldeias em 2015, a Tekoa Itakupe, além de abordar a PEC 215 (Proposta de Emenda Constitucional), uma das ameaças aos povos indígenas no Brasil. Produzido em 2015, o primeiro documentário sobre demarcação de terras das aldeias no Jaraguá, em São Paulo, faz um registro das Tekoa e mostra um ano decisivo na vida do povo Guarani Mbya.

A HISTÓRIA KAINGANG POR ELES MESMOS
(Documentário | 22min | 2018 | Canibal Filmes | T. I. Guarita)

Registro oral onde os kófas Kaingangs contam a história da Terra Indígena da Guarita em uma animada roda de conversa. Falado em Kaingang com legendas em português.

VOZES GUARANI
(Documentário | 30min | 2019 | Coletivo Cultura Viva | São Paulo/SP)

Acompanhando o cotidiano da Aldeia Krukutu, o filme trata da importância das músicas e dos ritos na cultura Guarani Mbya. Tendo o coral guarani como foco, o documentário mostra a transmissão de saberes entre gerações e a realidade dxs indígenas contemporânexs, que escrevem livros, cantam rap, utlizam as tecnologias como plataforma e protagonizam a luta pela demarcação das terras e pela manutenção de sua forma ancestral de viver.

A TERRA ME DISSE
(Documentário | 18min | 2019 | Aldeia Tapirema, Cultive Resistência, Astromar Filmes, Meia-Noite Filmes | Peruíbe/SP)

A retomada da terra invadida. A retomada de sonhos não esquecidos. A realidade de uma família que não desiste de lutar. Os primeiros dias de um povo de volta a sua terra.

SESSÃO 3: VIVA A RESISTÊNCIA INDÍGENA!
15h10 às 17h00
Movie

QUÉ DEMOCRACIA?
(Documentário | 75min | 2013 | Patricio Escobar | Argentina)

Um filme que expõe as contradições da democracia representativa. Um sistema que nos é instituído desde crianças e que parece ser inquestionável. Como pode funcionar a igualdade, fraternidade e liberdade da democracia dentro de um sistema capitalista que se funda e baseia na desigualdade e nas hierarquias?

SESSÃO 4
18h15 às 19h30
Movie

GYNEPUNK // ESTREIA!
(Documentário | 15min | 2019 | Julia Ostertag | Alemanha/México)

Gynepunk é um projeto de pesquisa autônomo sobre a história da ginecologia, que abre o acesso prático direto a um conhecimento de bricolagem autogestionado sobre nossos corpos, assim como uma proposta ativa e radical para dar um giro a história patriarcal. O objetivo de Gynepunk é criar ferramentas médicas eficientes e acessíveis que nos permitam cuidar de nossos próprios corpos. Tive a oportunidade de conhecer uma das iniciadoras, Klau Kinki (transhack ativista e artista de performance) no México e participei de sua oficina... Descolonize o corpo feminino!

CENSURADAS | ESTREIA!
(Documentário | 29min | 2019 | Colombia 29min)

Recompilação histórica e cultural das vozes e memórias de algumas mulheres que fizeram parte do punk na Colombia desde os anos 80 até a atualidade, sua resistência, sua arte, e como isto se reflete nas expressões de liberdade que permanecem em muitos casos ocultas em espaços subterrâneos. Esse documentário contra as razões que as levaram a se distanciarem da ordem social convencional para dar lugar a uma forma de vida diferente com todas as consequências que esta decisão implica.

LOS PUNKS DE LA LISA
(Documentário | 17min | 2019 | DocVozes | São Paulo/SP // Havana/Cuba)

Moradores do bairro de La Lisa, em Havana, organizam-se de forma autônoma e usam o anarco-punk como forma de expressar seus pensamentos e ideais. Este ensaio observacional apresenta o dia-a-dia dessas pessoas e suas relações dentro da ilha.

SESSÃO 5
19h45 às 20h47
Rap

APRESENTAÇÃO DE KUNUMI MC (RAP)

Kunumi MC é Wera Jeguaka Mirim, ativista, rapper e escritor guarani. Morador da aldeia Krukutu. Em suas músicas, cantadas em português e guarani, fala da luta e resistência indígena por dignidade, autonomia e demarcação das terras. Também utiliza da literatura para manter vivos os contos e a forma de viver guarani.

SEQUÊNCIA DE DISCOTECAGEM POR EQUIPE FENDA PARALELA

A PARTIR DAS 21HS

DOMINGO

Picture

OFICINA | FOTOGRAFIA: CONSTRUINDO NARRATIVAS
por Joakim Santos

Oficina em duas partes, 30/11 e 01/12 no período da tarde
GRATIS // FAÇA SUA INSCRIÇÃO!

Que discurso uma imagem carrega? Partindo dessa premissa a oficina se propõe no primeiro momento a abordar os conceitos básicos da construção da imagem e como para além de uma forma de expressão social, artística e cultural as técnicas empregadas nas linguagens fotográficas e cinematográficas ajudam a potencializar tal discurso. Na segunda parte da oficina é proposto uma pratica coletiva de uma construção narrativa em foto ou vídeo baseado nas discussões sobre o tema.
*traga sua câmera, celular ou outro equipamento fotográfico

30 Nov e 1º Dez
tarde
Movie

ABAYA | RESISTÊNCIA E ANCESTRALIDADE
(Documentário | 3min | 2018 | DocVozes | São Paulo/SP)

O encontro do Ilú Obá de Min, Mães de Maio e UMOJA , sua união, luta, ideais e resistências em uma noite onde a Rainha Mãe toma forma para denunciar a falsa abolição da escravatura. O encontro do Ilú Obá de Min, Mães de Maio e UMOJA , sua união, luta, ideais e resistências em uma noite onde a Rainha Mãe toma forma para denunciar a falsa abolição da escravatura.

CORPOS VERMELHOS
(Ficção | 21min | 2019 | Produtora Torre | Diadema/SP)

O curta retrata a historia de Marcos Vinicius em quatro fases da vida: criança, adolescente, jovem e adulto, e toda a dificuldade que ele encontra por ser negro e periférico.

IGBALA
(Documentário | 10min | 2019 | Black&White Produções |São Paulo/SP)

Igbala (resgate; salvação em Yorubá) é um documentário que remonta uma parte da história e memória da população afro e do quilombo Saracura, presente na origem do bairro do Bixiga. O documentário resgata uma parte dessa história que foi apagada e é pouco difundida culturalmente ao longo dos séculos.

SESSÃO 1
13h30 às 14h04
Movie

LOS OJOS DE AMÉRICA
(Documentário | 61min | 2014 | Daiana Rosenfeld y Aníbal Garisto | Argentina)

Documentário sobre a vida de América Scarfó, sua relação com Severino di Giovanni e o anarquismo na Argentina.

SESSÃO 2: MEMÓRIAS ANARQUISTAS
14h15 às 15h16
Movie

seguida da conversa “Revolta e antipolítica no Sul Global”, com Acácio Augusto* e lançamento do livro “O Fogo da Antipolítica” (ed. Imprensa Marginal) | das 16h33 às 18hs

Desde o movimento antiglobalização e as revoltas de rua no dezembro grego há um fogo que não cessa de buscar a ruína da política. Esse fogo remete à história dos anarquismos e à cultura libertária. A fala propõe uma leitura das revoltas no Equador, Venezuela, Chile e Bolívia a partir dessa chave de entendimento do fogo da antipolítica.

*Acácio Augusto é doutor em Ciências Sociais (Política) pela PUC-SP. Professor no Departamento de Relações Internacionais da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios - UNIFESP - campus Osasco e coordenador do LASInTec (Laboratório de Análise em Segurança Internacional de Tecnologias de Monitoramento). Professor colaborador no Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional da UFES. Pesquisador no Nu-Sol (Núcleo de Sociabilidade Libertária) e no grupo de pesquisa "Segurança e Defesa nas Américas" (UFF). Autor de "Política e polícia: cuidados, controles e penalizações de jovens". Rio de Janeiro: Lamparina, 2013 e "Anarquia y lucha antipolítica - ayer y hoy". Barcelona: NoLibros, 2019.

Filmes da sessão:

BRASIL 2020
(Ficção | 7min | 2019 | Canibal Filmes | Zona Autônoma de Kanibaru)

O Brasil é governado por uma crentecracia militar em aliança com a grande indústria do Agronegócio e a indústria Armamentista. O livre pensar se tornou uma grande barreira ao governo brasileiro. Anarquistas, professores, artistas, pequenos agricultores orgânicos, editores independentes e livres pensadores se tornaram as novas Bruxas do Século XXI e são os principais alvos dessa cruzada contra a sabedoria.

CRUCIFICAÇÃO
(Ficção Experimental | 25min | 2019 | Experimental Filmes | São João de Meriti/RJ)

Em uma epóca não muito distante, Núbia, que nunca se importou com ninguém, retorna a seu país, após a tomada de poder por políticos radicais e religiosos e encontra novas leis que oprimem rigorosamente as mulheres.

F FOR FAKE NEWS
(Documentira | 1min | 2019 | E. M. Z. Camargo | Curitiba/PA)

Um fake-filme para compartilhar no grupo da família.

IMPÁVIDO COLOSSO
(Documentário | 15min | 2018 | Novos Olhares Filmes e Palíndromo Produções | Aracaju/SE)

A partir de uma montagem da propaganda política obrigatória para a eleição presidencial de 1989, Impávido Colosso apresenta um debate da política no país por meio de uma reflexão sobre os discursos dos principais candidatos e sua atualidade nos rumos políticos do Brasil de hoje.

ESTRANHO ANIMAL
(Animação | 5min | 2019 | Arthur B. Senra | Brasília/DF)

Estranho animal a ditadura: homens sem asas, pássaros sem pés

SESSÃO 3: O Brasil atual na ficcção libertária
15h30 – 16h33
Movie

COLETIVO CANCROCÍTRICO - O ANTI-LARANJAS | ESTREIA!
(Documentário | 75min | 2019 | selo Lab Rec |Londrina/PR)

Nos anos 80 no Brasil sai de cena a Ditadura Militar e a política e a cultura fervilhavam, nesse contexto jovens da cidade de Londrina, no Paraná, conhecem uma filosofia que vai mudar o rumo de suas vidas: O Movimento Punk. Com a chegada do Punk em Londrina surge o Coletivo Cancrocítrico em 1987; um coletivo de ação, de ideias, um Fanzine, enfim uma iniciativa que deu voz a muitos. Criado com o intuito de organizar ações diretas, manifestações, encontros, shows, debates, etc ele usava o seu formato impresso para estruturar, fazer contatos e divulgar essas ações. Ficou em atividade até 1995 e deu a sua contribuição ao underground. Um desafio para a produção desse documentário foi juntar material para ilustrar um pouco dessa história, pois na época retratada era tudo muito difícil, até uma simples máquina fotográfica era algo raro nas mãos dos jovens que fizeram parte dessa História. Começamos essa produção em 2013 e como foi feita na base do “Faça você mesmo” e com recursos próprios seguiu o tempo do possível. Esse é o terceiro documentário produzido pelo selo Lab Rec e todos tem o mesmo objetivo, de contar um pouco da história do underground londrinense, uma história marginal, que morreria com aqueles que a viveram. Mas com esses registros esperamos inspirar mais jovens a escolherem seguir outros caminhos, além daqueles que são impostos para eles. Produção LAB REC

SESSÃO 4
18h15 às 19h30
Movie

VIVER PARA LUTAR
(Documentário | 86min | 2019 | Marina Knup | São Paulo/SP)

Parte de uma série de documentários sobre a cena anarcopunk no Brasil nos anos 90, o primeiro episódio retoma a importante ligação entre punk, anarquismo e feminismo que floresceu naquele período. Questionando todo o contexto social em que viviam, as mulheres punks criaram coletivos, zines, bandas, redes, encontros anarcofeministas e projetos que trouxeram a tona as urgências do feminismo não só dentro das movimentações punks e anarquistas, mas para suas próprias vidas. Por meio das memórias de mulheres que viveram esta história, tanto na movimentação anarcopunk quanto em outros contextos punks da época, reúne algumas dessas inúmeras experiências de luta.

SESSÃO 5
19h45 às 21h15
livros

FEIRA DE LIVROS E MATERIAIS ANARQUISTAS DURANTE TODO O EVENTO

exposicoes

EXPOSIÇÕES


EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA do 1 Festival Internacional do Filme Anarquista realizado em Buenos Aires/Argentina em agosto de 2019


EXPOSIÇÃO DE CARTAZES de festivais do filme anarquista pelo mundo

rango

COMIDA VEGANA

Location

LOCAL:

É com muita alegria chegamos à 8ª edição do Festival do Filme Anarquista e Punk de SP, dessa vez na Fenda Paralela.

COMO CHEGAR NO LOCAL DO FESTIVAL:

Fenda Paralela fica na rua Parapuã 1878/ Brasilândia.

Terminal Barra Funda - Pegar lotação Guarani (978T-10), ela passa em frente ao espaço.

Centro de São Paulo - Pegar ônibus Jardim Guarani (8528-10) na praça do Correio, o ônibus passa em frente ao espaço.

Lapa - Pegar ônibus Brasilândia (8542) na rua Guaicurus, o ônibus passa em frente ao espaço.

30 de nov e 01 de dez
Social