Anti-cárcere e repressão policial Entrevistas & Idéias Notícias e artigos

Coletânea Pela Liberdade de Rafael Braga! | Entrevista com Morto [Fortaleza/CE]

Written by anarcopunkORG

LIBERDADE PARA RAFAEL BRAGA! Será lançada em breve a coletânea beneficente Pela Liberdade de Rafael Braga, que está sendo conspirada e produzida em Fortaleza/CE e conta com participação de 32 bandas e 4 poetas de várias localidades, além de acompanhar um zine sobre o caso de Rafael e adesivos. Conversamos com o mano Morto, que contou um pouco sobre o processo de produção da coletânea e as atualidades do caso de Rafael!

* * *

1) Salve Morto! Há algum tempo você tem conspirado a coletânea ‘Pela Liberdade de Rafael Braga’. Pra quem não conhece o caso do Rafael, fale um pouco sobre o que aconteceu com ele?

Olá Marina, obrigado pelo espaço. Farei aqui um pequeno resumo. Rafael Braga é um dos maiores símbolos da atualidade de como a justiça e o estado são racistas. Ele é um jovem negro e pobre que trabalhava catando materiais recicláveis nas ruas do centro do Rio de Janeiro e morava na vila cruzeiro com a família, mas só ia pra casa as vezes, para economizar dinheiro das passagens. Enquanto estava no centro, vivia em situação de rua e dormia em um casarão abandonado. No dia 20 de junho de 2013 aconteceu no rio de janeiro uma das maiores manifestações contra o aumento da passagem de ônibus. Nesse dia, Rafael foi detido quando chegava de mais um dia de trabalho no casarão onde dormia; ele estava com duas garrafas de plástico, uma de pinho sol e outra de desinfetante. Os policiais o levaram para a delegacia e apresentaram a garrafa de pinho sol já aberta e com um pano, alegando que era um coquetel molotov. Tudo forjado pra poder condená-lo. E conseguiram: ele foi condenado a 5 anos e 10 meses de prisão. Em dezembro de 2015, Rafael conseguiu migrar para o regime aberto, sendo monitorado por uma tornozeleira eletrônica. No dia 12 de janeiro de 2016, ao sair pela manhã para ir a padaria, foi abordado por policiais que novamente forjaram um flagrante, dessa vez por porte de drogas. Segundo os policiais, ele teria sido pego com 0,6 gramas de maconha e 9 gramas de cocaína. Rafael braga foi condenado a 11 anos de prisão por tráfico e associação ao tráfico. Isso é apenas um resumo sobre o caso de Rafael. O zine que acompanha a coletânea traz mais detalhes.

2) O caso de Rafael Braga é um dentre inúmeros neste sistema que pauta políticas de encarceramento em massa que atingem diretamente a população pobre, negra e periférica no Brasil. Como está atualmente sua situação?

A situação atual de Rafael é a seguinte: a um tempo atrás ele contraiu tuberculose dentro do presídio e estava bem debilitado. Muito magro e com muita tosse, foi internado no hospital no complexo penitenciário em bangu. Depois de ser diagnosticado com tuberculose, Rafael foi levado ao sanatório penal para iniciar o tratamento e voltou para o presídio Alfredo Tranjam, onde contraiu a doença. Com isso, seus advogados entraram com pedido liminar de habeas corpus para ele migrar pra prisão domiciliar durante o tratamento. Depois de muita luta, a prisão domiciliar foi concedida até o dia 18 de fevereiro. Segundo a sentença, ele deve permanecer em sua residencia, só podendo sair por motivo de saúde ou com autorização judicial. Com toda essa situação de saúde e de moradia precária, a “campanha pela liberde de rafael braga” lançou o financiamento coletivo para comprar uma casa digna pra Rafael e sua família. A meta do financiamento foi atingida e a casa já foi comprada. Toda sua família já está residindo na casa e foi nela que foi comemorado no dia 30 de janeiro, o aniversário de Rafael Braga. Seu estado de saúde está bem melhor, mas ele ainda não é um homem livre, e é por isso que a luta por sua liberdade definitiva continua.

3) E como está sendo o processo de produção dessa coletânea, qual o objetivo, o que acompanha o material, quem está participando?

A produção da coletânea é totalmente “DIY” e está sendo feita de maneira bem artesanal, como a capa que foi cortada, silkada e montada a mão. Os cds também foram todos silkados. Um trampo de bastante paciência e dedicação. O objetivo de todo esse trampo, além de divulgar o caso de Rafael, é arrecadar grana pra ajudar Rafael e sua família. A coletânea traz dois cds, um zine com textos sobre o caso de Rafael, poemas e o release das bandas participantes. Estão participando dessa coletânea 32 bandas y grupos, desde anarco-punks, autorais e de rap, de vários estados do brasil e uma banda do perú, também estão participando 4 poetas.

4) Como você está pensando e conspirando o lançamento e distribuição da coletânea? Para quem quiser adquirir ou distribuir em sua cidade, qual o contato?

Para o lançamento da coletânea, será feita uma atividade com várias apresentações, capoeira angola, sarau de poesia, apresentação circense, venda de materiais e uma gig com bandas locais. A distribuição, além das que serão vendidas no evento, estarei enviando pelos correios pra quem quiser adquirir ou distribuir na sua localidade. Pra isso é só entrar em contato pelo facebook.

5) E que iniciativas tem rolado em solidariedade e luta por sua liberdade que você poderia citar? Que grupos/coletivos/contatos você pode indicar para quem queira apoiar essa luta?

Várias iniciativas vem acontecendo e se intensificando a cada dia por todo o brasil e mundo afora, como a formação dos comitês de solidariedade, as manifestações e vigílias de grupos e movimentos que abraçaram a causa e foram pras ruas pedir a liberdade de Rafael, denunciando o estado e a justiça, mostrando o quanto eles são racistas. Aqui em Fortaleza aconteceram vários atos como a formação do comitê “pela liberdade de rafael braga/Ceará”, brechó solidário organizado pelo ciclovida, uma apresentação de teatro do cirko pirata sobre o caso, a confecção das camisas beneficentes, uma apresentação de circo e malabares numa praça em solidariedade a Rafael, uma emissora de tv local abriu espaço para o comitê falar sobre seu caso, panfletagens, colagem de cartazes, etc. Por todo o brasil existem vários grupos que estão apoiando a causa como as mães de maio, 30 dias pra Rafael, os comitês, movimento negro, grupos de rap, anarco-punks, entre outros. Os que tenho contato são: o comitê/CE, comitê/RJ, espaço cultural formiga preta/RJ e o movimento anarco-punk.

6) Valeu pela entrevista! Fica aqui um espaço pra tu expressar/divulgar o que mais quiser!

Gostaria de agradecer pelo espaço pra divulgar esse trampo e dizer que a luta pela liberdade de Rafael Braga não é só pela liberdade de Rafael Braga, é uma luta contra o racismo e o genocídio do povo negro e pobre. Que essa coletânea, assim como várias iniciativas e lutas por aí a fora, seja um meio de denuncia pra mostrar o quanto essa justiça é racista e que consigamos alcançar o maior número de pessoas que ainda desconhecem esse caso. Um abraço a todxs!

About the author

anarcopunkORG