[Zapatismo na atualidade] Em Maio!

EZLN_LIMAO

Posted in Atos e Eventos | Leave a comment

Tuna – Outra Face

Vídeo produzido pela Anarco-Filmes em conjunto com a banda Tuna sobre faça-você-mesmx, punk, anarquismo, e muitas outras idéias dentro do contexto de gravação do disco em casa durante todo um final de semana.

 

 

Posted in Videos | Leave a comment

II Festival do Filme Anarquista e Punk

FESTIVAL2_baixa

Posted in Atos e Eventos | Leave a comment

Novidades no catálogo | Bottons

pq

Estamos inaugurando uma nova sessão no site com bottons de diversos modelos que estaremos a partir de agora levando na banquinha da Imprensa Marginal.

São 12 modelos por enquanto, dentre eles dois em apoio ao II Festival do Filme Anarquista e Punk, cuja grana arrecadada será revertida para a organização do evento.

Posted in Novidades | Leave a comment

Coletânea Zona Autônoma – vol.1

562346_297412243734829_1353043297_n

Acaba de sair a coletânea Zona Autônoma vol.1, beneficente ao Espaço Cultural Infixo de Fortaleza/CE e feita de forma totalmente faça-você-mesmx. Essa primeira coletânea de apoio conta com 14 bandas (cd + zine), e em breve com a mesma finalidade estará circulando um segundo volume e também uma coletânea poética. Pra quem tiver interesse em apoiar, a Imprensa Marginal está com algumas cópias em mãos, que estão sendo repassadas a 5,00. É só entrar em contato e combinar o envio!

Posted in Novidades | Leave a comment

Novidades no catálogo > Todo Fim é Um Começo, DVD+Zine

todo-fim-e-um-comeco-dvd-zineTodo Fim É Um Começo – DVD

Documentário produzido pela Anarco.Filmes em conjunto com o Coletivo Cultive Resistência. 1 hora e 8 minutos com dezenas de entrevistas com companheirxs de diversas partes que falam sobre suas experiências e visões a respeito dos espaços autônomos e libertários, sua importância e as problemáticas que envolvem a gestão deles, tudo isso no contexto de um evento de três dias de encerramento do Espaço Impróprio.

Todo Fim É Um Começo – Zine

Zine produzido por Cultive Resistência com editorial, texto sobre a história do Espaço Impróprio, uma compilação de fragmentos sobre os Espaços Autônomos, sobre sua necessidade, força e inspiração. Além de um desabafo final sobre as dificuldades, sentimentos e paixões que moveram os 8 anos de existência do Espaço Impróprio, tudo isso mesclando com imagens de shows e cartazes.

Espaço Impróprio foi uma casa no centroda cidade de São Paulo que resistiu por 8 anos, que manteve um espaço autônomo com uma lanchonete vegan, sala pra ensaio, bar, biblioteca, espaço para shows, debates, oficinas e que desse apoio e ajudasse a construir uma cena faça-você-mesmo forte e palpável.

-> 68 min., 2013 – Anarco-Filmes/Cultive Resistência, acompanha um zine -> R$ 10,00

Posted in Novidades | Leave a comment

Chamado para envio de propostas!

FESTIVAL

Posted in Atos e Eventos | Leave a comment

I Festival do Filme Anarquista e Punk de SP: Uma Visão

A idéia era simples e direta: organizar um evento que reunisse a exibição de filmes e documentários recentes produzidos por anarquistas e punks mundo afora, ou com temática ligada a questões sociais e libertárias diversas, agregando ainda a realização de debates, palestras, oficinas e exposições fotográficas. Partimos da importância destas linguagens como ferramentas de luta e disseminação de idéias e discussões: a criatividade libertária tem cada vez mais adentrado o mundo das produções audiovisuais, seja por meio da criação de novos filmes e documentários, seja pela realização de cineclubes, festivais de filmes anarquistas, oficinas, etc. E tudo isto com olhares libertários, prática do faça-você-mesmx, poucos recursos e muito autodidatismo.
Foram meses de organização recebendo os filmes, confirmando as atividades, fechando a programação e todos os milhares de detalhes pra que tudo desse certo. E no decorrer desse tempo já ficamos muito contentes com a quantidade de filmes inscritos, e em perceber que, para além dos que já conhecíamos, têm surgido diversos novos projetos de produção audiovisual anarquista em muitos lugares, cineclubes libertários, e tantas outras movidas relacionadas a esta linguagem. A dificuldade para encaixar tudo isto em uma programação de dois dias foi imensa, e assim o festival ganhou 1 dia a mais, ficando então com 3 dias de duração e tendo como espaço o novo Centro Anarquista Ação Direta.
Estes meses de organização passaram voando e logo chegou o festival: muita chuva caindo durante todo o final de semana, o que para nossa surpresa não impediu que muita gente passasse por lá durante todos os dias, participando das atividades, vendo os filmes, debatendo, levando rango vegano, materiais libertários, e ajudando com a organização e realização do evento de todas as formas.

A sexta-feira começou muito bem, com estréia do documentário Punk In África por aqui, exibição do Relatos de uma Cena Anarcopunk, e, pra fechar da melhor forma, mais uma edição do sarau Sangue, Suor e Poesia Libertária, com uma mesa recheada de livros de poesia libertária, periférica e popular, muitas companheiras recitando poesias anarco-feministas, e um clima muito massa de confraternização.
Sábado e domingo foram dias de programação intensa. Na sala principal do espaço, diversas banquinhas de material e rango vegano, camisetas do festival, e muitas exposições: fotografias de grafites e pixos libertários pelo mundo por Ruivo Lopes; fotografias da ocupação São João dentre outras, de Elaine Campos; fotos com pinhole, por Jefferson Andrade; cartazes de festivais de filme anarquista pelo mundo; projeções de fotografias de movimentações sem-teto e manifestações populares, por Anderson Barbosa; e mais fotografias de Avelino Regicida, e imagens de manifestações como o A20, N9, S29, dentre outras.

Logo no início das atividades do sábado, a companheira Elaine Campos, da Coletiva Anarcafeminista Marana, deu uma oficina de fotografia faça-você-mesm@, com ótimas reflexões sobre como construímos nossos olhares, e a forma como damos direcionamento às nossas imagens. As fotografias tiradas durante este dia foram projetadas no dia seguinte. No andar de cima, uma sala de exibição. E, no quintal, no espaço onde será a futura biblioteca do Centro Anarquista Ação Direta, outra sala exibindo simultaneamente.
Assim foram 18 filmes exibidos neste dia: From The Back Of The Room (EUA); Desalojo Ilegal da Ocupação Abu-Jamal (RJ); A Céu Aberto (Venezuela); Fabricação Artesanal de Carvão de Coco Babaçu (MA); Lúcio: Anarquista, assaltante, falsificador, mas sobretudo pedreiro (Espanha); Barulho Bom (CE); Ecos de Revolta – Exibição Vide Urbe (RJ); Noite do Horror (BA); Unindo Quebradas (SP); Filme Plágio (SP); Ciclovida: Lifecycle (CE); Torcendo pelo time da casa (CE); Vozes de um Cárcere (SP); Na Prisão Minha Vida Inteira (EUA); El Ocaso Del Miedo (Chile); e ainda as estréias dos filmes Squat Toren (CE); Caixa Postal 195 (SP) e Todo Fim É Um Começo (SP). Xs companheirxs do coletivo Ciclovida-SP ainda fizeram uma discussão sobre a expansão do agronegócio e a perspectiva de resistência através do resgate, partilha e preservação das sementes crioulas, relacionando esta perspectiva a uma busca por maior autonomia no campo e na cidade. O lançamento de Todo Fim É um Começo também teve sala cheia, e foi seguido de um debate sobre experiências em espaços autônomos e libertários, com participação de companheirxs do Coletivo Cultive Resistência/Espaço Impróprio, Ativismo ABC, ex-integrantes do espaço Ay Carmela, dentre outrxs, que trouxeram a tona ótimas reflexões sobre nossas atuais experiências de gestão e atuação anarquista nestes espaços.

O domingo começou sem chuva, o que permitiu que logo após a primeira exibição do dia, do filme Escolarizando o mundo: O último fardo do homem branco, todxs pudessem sentar em roda no quintal para debater sobre educação com companheirxs do Ativismo ABC e Coletivo Desescolarizar. Enquanto isso, a sala 2 exibia o A Cultura em Luta Pela Paz, e, logo em seguida, foi espaço para uma intervenção/debate a partir da ação de mulheres lésbicas e feministas, sobre agressões e violência machista nos movimentos sociais e no meio anarquista/punk. Outros filmes que passaram durante o dia foram: Não São Um Por Cento: Anarquistas em Carrara; Crass: There Is No Authority But Yourself; Tid; Ugra the Karma; um workshop com Daniel Fagundes, do Núcleo de Comunicação Alternativa, sobre vídeo popular e representações, e uma troca de idéias com xs companheirxs da Biblioteca Terra Livre sobre as experiências acumuladas durante os 2 anos de realização do Cineclube Terra Livre, que aconteceu logo após a exibição do documentário Indomables: Uma Historia de Mujeres Libres, e do qual também pudemos participar agregando nossas experiências.
Enfim, foram três dias muito bons, bastante gente circulando, um clima de confraternização constante, e melhor ainda, muita gente se dispondo a apoiar, ajudar e se envolver da forma que pode, tornando este festival uma construção e realização coletiva!
Queríamos agradecer muito a todas essas pessoas, que apoiaram das mais diversas formas! Ao Centro Anarquista Ação Direta por ceder o espaço e pela enorme receptividade e confiança; Projeto Espremedor, Projeto Ocupação Cultural, CICAS e Quilombrasa pelo apoio com os equipos; Espaço Osomdoqsomos e Toddy pelas cadeiras; Biblioteca Terra Livre, Ativismo ABC, Coletivo Desescolarizar, Ciclovida-SP, Daniel & Núcleo de Comunicação Alternativa, Coletivo Cultive Resistência, Jefferson, Anderson, Elaine, Ruivo & Sarau Sangue, Suor e Poesia Libertária; MAP-SP; Gritão pelos catálogos; Valter Alves pela exposição enviada pelo correio, Agenda da Periferia pela divulgação, toda galera que enviou filmes, traduziu, legendou, terminou e compartilhou seu vídeo e suas idéias pra podermos exibir durante o festival, toda galera que ajudou nas banquinhas, levou rango vegano, recitou poesias, ajudou a telar as camisetas, limpar o espaço, carregar as coisas, exibir os filmes, enfim… sem todxs isso não teria sido possível! Ano que vem tem mais!

Posted in Atos e Eventos, Textos e Artigos | Leave a comment

Um relato da 1a Feira Anarquista em Natal/RN

Nos últimos anos tem se intensificado cada vez mais a realização de feiras anarquistas no Brasil, em eventos caracterizados por difusão de materiais e produções libertárias, realização de debates e atividades, e ampla circulação e participação de pessoas de diversas partes.
Estes encontros tem propiciado um espaço muito importante de convivência coletiva, compartilhamento de idéias, iniciativas e reflexões, e tem gerado possibilidades de aproximação e parcerias entre grupos, companheir@s e projetos anarquistas da atualidade.
Na cidade de São Paulo (SP), no início de novembro, irá acontecer a 3a Feira Anarquista, com organização d@s companheir@s do Ativismo ABC e Biblioteca Terra Livre. Em Porto Alegre (RS) a 3a edição da Feira do Livro Anarquista acontece também em novembro, tomando proporções cada vez maiores e agregando intervenções de companheir@s anarquistas de diversas partes do Brasil.
No dia 20 de outubro, seguindo neste mesmo rumo, aconteceu a primeira Feira Anarquista em Natal (RN), organizada por anarcopunks e libertári@s da região, e com participação de coletivos e pessoas de João Pessoa/PB, Campina Grande/PB, Recife/PE, São Paulo/SP, dentre outros.

A feira aconteceu em praça pública numa região central da cidade, se iniciando pela manhã com um café da manhã coletivo e um debate sobre anarquismo na atualidade, com apresentação inicial de tod@s @s presentes, que falaram um pouco sobre seus projetos, grupos e formas de atuação.
No almoço tod@s puderam se deliciar com uma feijoada vegana preparada por vári@s companheir@s e que foi distribuída gratuitamente pra tod@s que estavam na praça, e em seguida as banquinhas de materiais começaram a ser montadas, com zines, livros, camisetas, filmes, patches, artesanato e tudo o mais que a criatividade libertária pode trazer.
Quem por ali passava já podia ver à distância as bandeiras negras e faixas com dizeres anarquistas, e pouco a pouco mais pessoas foram se aproximando. Durante todo o dia circularam muitas pessoas, e aconteceu ainda uma intervenção teatral do grupo Cruor e uma oficina de confecção de livros artesanais que a Imprensa Marginal teve a oportunidade de dar, falando um pouco sobre algumas das técnicas e possibilidades, e partindo depois para a prática (cortar, furar, costurar…).
A feira seguiu durante toda a tarde e noite, em um clima de confraternização e companheirismo, e terminou com um enorme sentimento de satisfação de tod@s que puderam estar ali. A proposta é que a Feira Anarquista em Natal aconteça também anualmente, fortalecendo ainda mais estes encontros que cada vez mais tem acontecido em diversas partes. E que venham mais feiras anarquistas!

Outubro de 2012,
Imprensa Marginal

* Veja o vídeo produzido pel@s companheir@s de Natal e João Pessoa com imagens da feira:

Posted in Atos e Eventos, Textos e Artigos | Leave a comment

[Novidades] Filme: Todo Fim É um Começo

Filme pronto e saindo do forno: “Todo Fim É Um Começo”, documentário produzido pela Anarco.Filmes Produções Anarcopunx em conjunto com o coletivo Cultive Resistência! 1 hora e 8 minutos com dezenas de entrevistas com companheir@s
de diversas partes que falam sobre suas experiências e visões a respeito dos espaços autônomos e libertários, sua importância e as problemáticas que envolvem a gestão deles, tudo isso no contexto de um evento de três dias de encerramento do Espaço Impróprio. O lançamento do filme vai acontecer durante o Festival do Filme Anarquista e Punk de SP nos dias 15 e 16 de dezembro, em breve sairá também uma versão pra distribuição em DVD!

Posted in Novidades | Leave a comment